07/04/06

O diabo da catraia!

Disse-me que tinha uma surpresa para mim. Uma surpresa? Adoro surpresas! Mas disse-me que era para o dia seguinte. Como iria aguentar, sou tão curiosa...
Comecei logo a magicar o que seria. Um chocolate, qualquer coisa feita por ela? Ai, aaai, que tortura para a minha cachola curiosa...
No dia seguinte o professor pede para ela ler o poema que tinha trazido.
Ao som das primeiras palavras, o meu coração começou a acelerar, a minha face a ruborizar e o garganil a secar.
Não é que a catraia tinha escolhido um poema meu (já publicado aqui no bloguezito)!!!
Confesso que nunca me tinha passado pela cabeça que esse poema pudesse ser lido em voz alta por alguém que não eu.
E foi bom.
Foi bom sentir as palavras verbalizadas de outra forma que não a minha.
Foi bom sentir a paixão forte que lhes imprimi ser atenuada e ganhar outra cor que não o preto e sangue original.
Foi bom alguém ter decifrado um desejo meu, mas que por falta de coragem não tivera a ousadia de o ler. Esse alguém teve-a por mim.
Foi bom sentir a garganta embargada de tanta emoção que nem me deixava soltar a voz.
Foi bom.
Bom.

Sim Teguesinha, adorei a tua surpresa. E que surpresa!

P.S. - Também tenho uma surpresa para ti. Eh, eh, eh, e não é vingança!

2 comentários:

Teguesa disse...

A catraia, teve a ousadia de o escolher e a coragem de o ler mas um medo muito garnde de ser ouvida!! Pensei e repensei, recolhi opiniões, mas apesar deste receio a vontade foi maior...

Iuuuuuuuuuu, cá vamos nós
Soltem o riso, soltem a VOZ!

ps- Ai, que vem ai a vingança...

aglidole disse...

Afinal além dos olhos serem meiguinhos, tb vêm longe!

:)

ps- Me aguarrrde...