19/10/07

Tiçonico

A menina dos chocolates crescera. Com os seus 15 anos, julgava-se já mulher.
Comprou verniz. Cor-de-rosa. Fez questão. De uma só vez pintou mãos e pés! Queria impressioná-lo quando lhe estivesse a dar os chocolates para a mão.
Estava quase, quase pronta para quando o circo voltasse à aldeia. Continuava a ser a menina dos chocolates que vendia, com o tabuleiro ao peito, as melhores doçuras nunca antes saboreadas.
E como estaria a aldeia? Passavam agora 6 meses e 18 dias desde a última vez que lá estivera.
O seu coração inquietava-se com esta ideia. E se o Ruiz já não morasse lá? Ouvira rumores de famílias inteiras que se mudavam, na esperança de uma melhor sorte. Seria o caso da família dele?...
Não. Isso não podia acontecer! Inalava com toda a força o cheiro do verniz para afastar este pensamento.
Pôs-se em frente do espelho do quarto da mãe, tirou a esponja da caixinha do pó de arroz e polvilhou a cara. Bateu tantas e tantas vezes por toda a cara que pestanas e sobrancelhas ficaram brancas. De repente, como por magia, olhou-se ao espelho e já não apareciam as sardas das suas bochechas. Ficaram escondidas debaixo do pó.
Triiiiiiiiiiiiii! Ouviu-se ao longe. Saltou para o chão e correu até à porta. Abriu-a devagarinho e deu um salto de surpresa.
-Então, não me convidas para entrar?

2 comentários:

zito disse...

Esta é sem dúvida das coisas mais bonitas que ouvi!

Obrigado.

aglidole disse...

Gostou
Gostou menino Zito?!

Inda bem :)

Olha o que é aquilo da tua casinha?...