30/07/07



Claro.
Penso.
Claro. sim.
O colchão da minha cama é alto. Foi enchido com sonhos, pensamentos, cheiros, peles. Foi calcado, saltado, gritado, gargalhado, enamorado, descansado, ronronado.
O lençol já não chega a fazer a dobrinha para baixo.
Na Sexta sonhei que estava no centro da terra... fervilhava. Dali podia escolher qualquer lugar para ir. Era só virar-me, apontar e seguir.
Gostava de ver onde tudo começou. Tudo começou? Tudo começou!
Mais um que foi caindo da cabeça e instalando-se no colchão, no meu colchão.

3 comentários:

Hug The DJ disse...

Lindo!

C:)

0357 disse...

Temos poeta!

Ana Rita disse...

:)